AIP - ao serviço das empresas
Departamento de Comunicação - AIP | Praça das Indústrias | Tel.:+351 213 601 000 | aip@aip.pt

ATUALIDADE

Saiba como investir na descarbonização utilizando os apoios a fundo perdido?
Saiba como investir na descarbonização utilizando os apoios a fundo perdido
O Sistema de Incentivos “Descarbonização da Indústria” destina-se a apoiar investimentos de todas as indústrias que tenham como objetivo a transição para uma economia neutra em carbono. Os incentivos assumem a forma de apoios não reembolsáveis, com taxas que podem ir até 100% do investimento elegível. A data limite para entrega de candidaturas é dia 29 de abril de 2022. Os projetos passíveis de serem apoiados enquadram-se em três tipologias: (i) processos e tecnologias de baixo carbono na indústria (novos processos, produtos ou modelos que visem a descarbonização e digitalização; circularidade no uso de recursos; novas matérias primas, combustíveis derivados de resíduos; utilização de biomassa ou biogás; medidas de economia circular; adaptação e/ou substituição de equipamentos vetores de energia renovável; eletrificação de consumos finais; (ii) medidas de eficiência energética (que reduzam o consumo e as emissões de gases com efeito de estufa; sistemas de monitorização e gestão de consumos); e (iii) incorporação de energia de fontes renováveis; (incorporação de energia renovável; armazenamento de energia; hidrogénio e gases renováveis na indústria). Saiba quais os requisitos, como se pode candidatar ou elaborar a candidatura com a Consulting by AIP: consultoria@aip.pt ou 213 601 013.
Inquérito da AIP revela entraves à competitividade e crescimento das empresas
Inquérito da AIP revela entraves à competitividade e crescimento das empresas
O sistema fiscal (78 por cento), os custos da energia (67 por cento), as contingências do mercado de trabalho, nomeadamente, a legislação, a contratação, a remuneração e as qualificações (65 por cento), o sistema judicial (51 por cento) e a carga administrativa provocada pelo licenciamento e pela burocracia (51 por cento) foram os fatores considerados importantes ou muito importantes para a competitividade e crescimento, pelas empresas que responderam ao 25º Inquérito à Atividade Empresarial, realizado pela AIP. Já no que diz respeito aos fatores relevantes que afetam a atividade exportadora, 49 por cento das empresas considera como fator importante ou muito importante a existência de parcerias. Outro dos resultados apurados indica que apenas 28 por cento das empresas já teve alguma forma de cooperação com uma ou mais universidades. E, no que se refere ao financiamento de Investigação e Desenvolvimento, somente 8 por cento recorreu a algum programa europeu.
>Dia 23 de fevereiro pode visitar a 2ª Mostra Virtual “Valorizar Portugal”
Dia 23 de fevereiro pode visitar a 2ª Mostra Virtual “Valorizar Portugal”
Inovação, modernidade e valorização da tradição dos produtos e serviços certificados com o selo “Portugal Sou Eu”, eis o que os visitantes da 2ª Mostra Virtual “Valorizar Portugal” podem esperar no dia 23 fevereiro. Mas não só. Conhecer as marcas dos expositores, interagir com potenciais parceiros e esclarecer dúvidas em tempo real são aspetos diferenciadores deste evento online dirigido a empresários e consumidores. Em 2021, metade dos cerca de 1000 visitantes indicou como principal motivo para a participação “conhecer produtos e serviços Portugal Sou Eu”, seguido de “estabelecer potenciais parcerias” e de “saber mais sobre a marca Portugal Sou Eu”. A participação é gratuita. A breve prazo informaremos sobre a abertura das inscrições. No entretanto, pode aceder ao site:  https://portugalsoueu.pt/.
Emissão grupada de obrigações permite ganhos de dimensão e risco moderado
Emissão grupada de obrigações permite ganhos de dimensão e risco moderado
Situou-se em 42 por cento o número de empresas inquiridas que considerou relevante, muito ou extremamente relevante a emissão grupada de obrigações, num universo de mais de 200 respostas ao “Inquérito sobre Oportunidades de Financiamento para PME”, que a AIP, em parceria com a PwC, levou a cabo no final de 2021, no âmbito do projeto “Soluções de Financiamento para Pequenas e Médias Empresas”. Este inquérito teve por objetivo realizar um diagnóstico da situação atual das PME no acesso e utilização de diferentes instrumentos de financiamento que possam ser alternativas às disponíveis no mercado. A emissão grupada de obrigações consiste num modelo em que determinado conjunto de PME emite obrigações, criando-se, para o efeito, um fundo de obrigações, com garantia pública, no valor do conjunto das obrigações emitidas pelas várias empresas. Este modelo permite que as emissões obrigacionistas ganhem dimensão suficiente e tenham um risco moderado para potencialmente atrair o interesse de investidores. A AIP está a trabalhar com o BCP, a PwC e entidades públicas na conceção e montagem de uma operação de emissão de obrigações grupadas. Mais informações: editen@aip.pt ou 213 601 055.
Quer reforçar o crescimento da sua PME nos mercados internacionais? Integre um projeto de parcerias estratégicas
Quer reforçar o crescimento da sua PME nos mercados internacionais? Integre um projeto de parcerias estratégicas

Quer garantir o crescimento do negócio internacional da sua PME, através da criação e desenvolvimento de parcerias estratégicas com grandes empresas e grupos fortemente internacionalizados? É um dos objetivos da nova edição do projeto conjunto de internacionalização que a AIP está a promover, o PME Connect II. Caso queira participar contacte-nos: editen@aip.pt ou 213 601 055.

Conheça a lista de oportunidades de negócio da semana no link abaixo e verifique se alguma é do seu interesse
Conheça a lista de oportunidades de negócio da semana no link abaixo e verifique se alguma é do seu interesse
Fabrico de colchões para autocaravanas e de peças sobressalentes para máquinas agrícolas são alguns dos items da lista de oportunidades de negócio internacionais que a AIP esta semana divulga. Têm origem, entre outros mercados, na Eslovénia, Áustria, Alemanha e Holanda. Em complemento, todos os meses são colocadas na plataforma Enterprise Europe Network mais de 500 oportunidades de negócio internacionais. Se tiver interesse em conhecer estas e outras oportunidades de negócio contacte EEN.Portugal@aip.pt. Solicite apoio gratuito.
A localização privilegiada é crucial para a sua atividade? Venha conhecer o Centro de Negócios da Junqueira
A localização privilegiada é crucial para a sua atividade? Venha conhecer o Centro de Negócios da Junqueira
A AIP tem disponível para arrendar, a preços competitivos, no Centro de Negócios da Junqueira, uma área útil total de cerca de 290 m2 distribuída por dois edifícios. As áreas livres variam entre 18 m2 e os 112 m2. Já com 60 empresas instaladas, os escritórios, de várias dimensões e tipologias, dispõem de infraestruturas e facilidades de serviços. A localização é privilegiada, entre a Rua da Junqueira e o rio Tejo, e o complexo empresarial inclui parqueamento privativo. Com capacidade entre 3 e 50 pessoas, a AIP dispõe ainda de um conjunto de salas para reuniões e formação. Aceda ao vídeo de apresentação do espaço. Mais informações: nuno.borges@aip.pt ou 21 360 11 40/10 63.

ASSOCIADOS

Sovena adquire empresa detentora da marca Salutem
Sovena adquire empresa detentora da marca Salutem
O Grupo Sovena adquiriu 100% do capital da empresa portuguesa Centazzi, detentora da marca Salutem. Esta operação reforçou o propósito da Sovena – Feeding Futures – de acelerar os próximos passos da alimentação global, que tem como eixos principais a conveniência, a saúde e a sustentabilidade. Para Jorge de Melo, CEO da Sovena, “a experiência e o dinamismo da Centazzi no mercado, permite-nos consolidar a nossa aposta nas novas tendências da alimentação”, acrescentando que “é nosso objetivo reforçar a posição de mercado da marca Salutem, facilitando o acesso a canais de comercialização no mercado nacional e internacional”. A Sovena figura como uma das empresas líderes no setor do azeite, com marcas como Oliveira da Serra e Andorinha. Marca ainda presença nos óleos vegetais, com a Fula, Vêgê e Frigi. Tem operações diretas em 10 países (Portugal, Espanha, EUA, Brasil, Chile, Argentina, Marrocos, Itália, China e Angola), exporta para mais de 70 e emprega mais de 1.200 colaboradores em todo o mundo. Em 2020, faturou 1,1 mil milhões de euros, com a componente internacional a representar 75% do total do negócio.
COBA realiza inquérito LUCAS 22 para o Eurostat
COBA realiza inquérito LUCAS 22 para o Eurostat
O Serviço de Estatística da Comissão Europeia, Eurostat, adjudicou à COBA a realização do inquérito LUCAS 2022, sobre o estado e a dinâmica da ocupação/uso do solo no Lote 1 que inclui Portugal, Espanha, França, Bélgica, Países Baixos e Luxemburgo. O contrato tem a duração de 23 meses e o inquérito no terreno será realizado entre abril e setembro de 2022. Fundada em 1962, a COBA é um grupo multinacional e multidisciplinar de Serviços de Engenharia e Ambiente. O Grupo tem exercido a sua atividade em mais de quatro dezenas de países espalhados por todos os continentes. 
Rolear e Universidade do Algarve desenvolvem projeto de investigação conjunto
Rolear e Universidade do Algarve desenvolvem projeto de investigação conjunto
A Rolear e a Universidade do Algarve estão a desenvolver, em colaboração, um sistema de aquecimento, ventilação e ar condicionado que minimize os problemas da má qualidade do ar nos espaços fechados, que, muitas vezes, causa de dor de cabeça, olhos irritados, náuseas ou sono. Trata-se do projeto de investigação denominado Safeair, cujo protótipo deverá estar concluído em julho. A empresa mãe do Grupo Rolear foi criada em 1979. Com sede em Faro, o Grupo apresenta uma oferta única de soluções que vão desde o fornecimento de produtos e equipamentos, à distribuição de gás canalizado, comercialização de gás natural e eletricidade, passando pela construção civil, infraestruturas e arranjos exteriores, pelas instalações técnicas especiais, manutenção, apoio técnico e formação.

FISCALIDADE

Legislativas 2022: O que propõem os partidos na área da fiscalidade?
Legislativas 2022: O que propõem os partidos na área da fiscalidade?
Realizaram-se dia 30 de janeiro as eleições legislativas de 2022. Neste âmbito, os partidos apresentaram os seus programas quanto aos impostos que recaem sobre as famílias, as empresas e os trabalhadores e profissionais liberais,  sobre benefícios fiscais, sobre incentivos e, bem assim, o combate à fraude e à evasão fiscais. A Sociedade de Advogados Rogério Fernandes Ferreira & Associados elaborou uma breve síntese de algumas das principais propostas e dos programas fiscais apresentados por cada um dos partidos.
Certificados de Origem