AIP - ao serviço das empresas
Departamento de Comunicação - AIP | Praça das Indústrias | Tel.:+351 213 601 000 | aip@aip.pt

ATUALIDADE

Economia Social recebe apoios do PRR: como proceder ao investimento?
Economia Social recebe apoios do PRR: como proceder ao investimento?
As IPSS e equiparadas, as Autarquias e outras Entidades Públicas, e outras entidades de direito privado sem fins lucrativos, de utilidade pública, que detenham no âmbito do seu objeto estatutário a área social têm acesso ao aviso do PRR - Nova Geração de Equipamentos e Respostas Sociais para a Requalificação e Alargamento da Rede de Equipamentos e Respostas Sociais - cujas candidaturas encerram a 22 de fevereiro de 2022. Tem por objetivo reforçar, adaptar, requalificar e inovar as respostas sociais dirigidas às crianças, pessoas idosas, pessoas com deficiência ou incapacidades e famílias, bem como contribuir para a promoção da natalidade, do envelhecimento ativo e saudável, da inclusão e promoção da autonomia e da conciliação entre a atividade profissional e a vida pessoal e familiar e a coesão social e territorial. Saiba quais as candidaturas elegíveis, quais as intervenções alvo de apoios e quais as despesas de investimento que são financiadas. Mais informações: consultoria@aip.pt ou 21 360 10 57.
Como reduzir o custo de financiamento? Conheça o benchmarking internacional de emissões de obrigações grupadas
Como reduzir o custo de financiamento? Conheça o benchmarking internacional de emissões de obrigações grupadas
No âmbito do projeto “Soluções de Financiamento para Pequenas e Médias Empresas” cujo objetivo principal passa por melhorar e diversificar o acesso ao financiamento por parte das PME, a AIP em parceria com a PwC fez uma análise de benchmarking das experiências já existentes em França e Itália de lançamento de obrigações grupadas. Está Portugal preparado para uma emissão grupada de obrigações multissetorial, para PME economicamente viáveis com potencial de internacionalização? A AIP está a trabalhar com o BCP, a PwC e entidades públicas na conceção e montagem de uma operação de emissão de obrigações grupadas. Mais informações: editen@aip.pt ou 21 360 10 55.
Programa “Portugal Sou Eu” avança para nova fase
Programa “Portugal Sou Eu” avança para nova fase
O programa “Portugal Sou Eu” está bem vivo e de saúde. Prova disso foi o lançamento da IV fase, que decorreu no hotel Pestana Palace, em Lisboa, no dia 9 de dezembro. A apresentação da nova fase do programa contou com a presença do ministro do Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, do secretário de Estado da Defesa do Consumidor, João Torres, e de representantes da AIP e dos outros parceiros. Na ocasião foram apresentados quatro novos embaixadores: o escritor José Luís Peixoto, o escritor e radialista Gonçalo Gago da Câmara, a chef Filipa Gomes e a atriz Inês Castel Branco. Durante o evento foram distinguidas doze empresas, correspondentes a sete categorias de prémios: primeiro aderente de produto, de artesanato, de serviço, de estabelecimento comercial e da distribuição; aderente da distribuição com maior número de produtos e empresas aderentes com maior número de renovações no programa “Portugal Sou Eu”.
Metalomecânica e madeira são os setores com mais procura esta semana
Metalomecânica e madeira são os setores com mais procura esta semana
Quadros de bicicleta de montanha; tampos de mesa de escritório e de mesa de jantar; mesas de bilhar profissionais; são alguns dos items da lista de oportunidades de negócio internacionais que a AIP esta semana divulga. Têm origem, entre outros mercados, na Holanda, Finlândia, Polónia e Bulgária. Em complemento, todos os meses são colocadas na plataforma Enterprise Europe Network mais de 500 oportunidades de negócio internacionais. Se tiver interesse em conhecer estas e outras oportunidades de negócio contacte EEN.Portugal@aip.pt. Solicite apoio gratuito.

ASSOCIADOS

inCentea cumpre 17 de anos de atividade presente em 9 mercados
inCentea cumpre 17 de anos de atividade presente em 9 mercados
A marca inCentea acaba de cumprir 17 anos. É resultado da fusão de duas empresas, do setor das TI, em Leiria, Leirisic e a Datamex. Iniciado em 2004, este processo continuou tendo-se realizado mais de 40 operações de aquisição ou troca de participações. Hoje é um grupo de empresas de prestação de serviços profissionais nas áreas das Tecnologias de Informação e Comunicação, Marketing e Inovação, Consultoria de Negócio, e Engenharia de Produto. Conta com 356 colaboradores presentes em Portugal, Angola, Brasil, Cabo Verde, Espanha, França, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe. Em 2020, o volume de negócios consolidado foi de 17,3 milhões de euros, dos quais 25% realizado nos mercados internacionais.
Latourrette Consulting produz conteúdos em competências digitais no México
Latourrette Consulting produz conteúdos em competências digitais no México
No seguimento da expansão da Latourrette Consulting para o México, a Latourrette Academy, o seu braço de formação, estabeleceu uma aliança inovadora com a Virtual Educa para passar a disponibilizar conteúdos de formação em competências digitais aos cidadãos mexicanos, em conformidade com a norma Digcomp da Unesco. Em estreita aliança com a Virtual Educa, estão a ser produzidos conteúdos em espanhol, adaptando pela primeira vez o quadro Europeu de Referência para a Competência Digital da Unesco à América Latina, de modo a potenciar a qualificação dos recursos de empresas de toda a dimensão. Pretende-se fazer chegar a transformação digital a todas as empresas mexicanas. Os conteúdos serão desenvolvidos em formato de vídeo com mini aulas de até 5 minutos que irão acompanhar os 8 níveis de cada uma das 24 competências que vão desde a simples operação com software e dispositivos até à resolução de problemas em ambientes virtuais.

FISCALIDADE

A Remuneração Convencional do Capital Social em finais do exercício de 2021
A Remuneração Convencional do Capital Social em finais do exercício de 2021
A legislação fiscal portuguesa prevê um benefício com relevante impacto fiscal, denominado, Remuneração Convencional do Capital Social, mediante o qual os sujeitos passivos podem deduzir ao seu lucro tributável, em cada exercício, uma percentagem do montante das entradas de capital realizadas por entregas em dinheiro, através da conversão de créditos ou com recurso aos lucros do próprio exercício. Conheça a análise da Sociedade de Advogados Rogério Fernandes Ferreira & Associados.
Certificados de Origem