Fundada em 1824, a Vista Alegre Atlantis (VAA) completou, no dia 27 de novembro, 30 anos de vida na Bolsa portuguesa. O aniversário foi assinalado na Euronext, em Lisboa, numa cerimónia que homenageou o percurso resiliente desta empresa com quase 200 anos e uma das maiores do mundo no fabrico e comercialização de produtos de cerâmica e cristal.

A sessão ficou marcada pela partilha de números já alcançados e de estratégias para o futuro, que explicam a boa fase que a empresa vive atualmente.

O volume de negócios da Vista Alegre subiu 14% no terceiro trimestre de 2017, em comparação com o período homólogo, para 60,9 milhões euros.

O mercado externo continua a representar mais de metade das vendas da empresa portuguesa, ou seja, apresentando uma faturação de 41,5 milhões de euros, segundo informações enviadas à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O resultado líquido da Vista Alegre aumentou 227% para 1,9 milhões de euros em comparação com o terceiro trimestre de 2016, período no qual a empresa tinha tido um prejuízo superior a 1,4 milhões de euros. No caso do resultado operacional, a subida foi de 366% para 4,5 milhões de euros.

O EBITDA – lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortizações – da Vista Alegre cresceu 220% para 9,3 milhões de euros.

A VAA está presente em mais de 70 países, entre eles Portugal (36,4%), Espanha (14,7%), França (9,8%), Itália (9%), Alemanha (8,8%), Reino Unido (2,3%), Países Baixos (1,4%), Europa (5,2%), Brasil (3,7%), Estados Unidos (3,2%) e outros (5,5%).

O volume de negócios, por família de produtos, reparte-se da seguinte forma: artigos de porcelana (48,5%); louça de mesa em grés (22,3%); louça para fornos (14,9%); artigos de cristal e de vidro fabricados a mão (14,2%).