A fabricante de telhas e acessórios de cerâmica para telhados, UmbelinoMonteiro SA, de Leiria, acabou de reabilitar o histórico Santuário do Menino Jesus de Praga, em Marco de Canaveses, com a sua “Advance Premium Lusa” em vermelho natural.

 

As telhas “Advance Premium” são cerâmicas com baixa percentagem de absorção de água e não requerem a utilização de produtos de proteção adicional.

 

Os produtos e sistemas da Umbelino Monteiro estão presentes em diversos países da Europa, África, América e Ásia.

 

Fundada em 1959, a Umbelino Monteiro tem a sua sede e instalações fabris nas Meirinhas, em Leiria, e pertence ao grupo belga Etex, um dos mais importantes do sector de materiais para construção.

 

As telhas são produzidas em cores naturais, mediterrânicas e vidradas. No portfólio, existem produtos adequados para preservar edifícios tradicionais ou para novas ideias.

 

Considerada uma das mais representativas empresas no mercado de coberturas, na conservação do património cultural e na remodelação,  são visíveis os seus produtos e sistemas construtivos aplicados em edifícios como o Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, ou o Palácio da Pena, em Sintra.

 

A Umbelino Monteiro também comercializa placas de fibrocimento, que representam uma percentagem significativa nas vendas. Isentas de amianto ou de qualquer outro contaminante, são fabricadas com cimento, celulose, fibras sintéticas e sílica amorfa.

 

Em 2016, com o intuito de conferir aos clientes soluções construtivas cada vez mais completas e inovadoras, a empresa começou a vender também placas técnicas planas, nomeadamente a Duripanel e a Eterboard. Em 2017, renovou a gama de componentes para coberturas e, neste mesmo ano, apostou no desenvolvimento de duas novas telhas “marselha” para dar resposta às necessidades do mercado.

 
Desde a década de oitenta que a firma tem criado e fabricado modelos específicos de telhas para diversas funcionalidades e exclusivas, como são os casos da telha “UM Canudo Flameada” e da “UM Canudo Tibães”, desenvolvidas para o Mosteiro dos Jerónimos e de Tibães, respectivamente; a tonalidade Açores que reproduz o aspecto original dos telhados açorianos e ainda a “UM Romana Monserrate”, neste caso uma reprodução fiel da telha que cobriu o Palácio de Monserrate.