No passado dia 1 de julho, 132 jurisdições, entre as quais Portugal, chegaram a um acordo preliminar sobre fiscalidade internacional, no âmbito da OCDE e do G20, cujo intuito é fazer face aos desafios que a globalização e a digitalização da economia internacional colocam à atual ordem tributária mundial, designadamente, as estratégias levadas a cabo pelas grandes entidades multinacionais para evitar o pagamento de impostos.

Conheça a análise da Sociedade de Advogados Rogério FernandesFerreira & Associados.