Background Image

Comunicação na interação com o utente, cuidador e/ou família

Carga Horária: 25 horas

OBJETIVOS
- Identificar possíveis estratégias para ultrapassar as barreiras na comunicação e interação com utente.
- Identificar mitos e crenças comuns nas populações migrantes e minorias étnicas em Portugal.
- Identificar os aspetos de natureza cultural, de género e de vulnerabilidade que podem consistir em obstáculo à comunicação e à interação.
- Aplicar técnicas de comunicação na interação com o utente, cuidador e/ou família com alterações de comportamento ou alterações ou perturbações mentais.
- Aplicar técnicas de comunicação na interação com utentes com alterações sensoriais.
- Explicar a importância de comunicar de forma clara, precisa e assertiva.
- Explicar a importância de demonstrar interesse e disponibilidade na interação com utentes, familiares e/ou cuidadores.
- Explicar a importância de manter autocontrolo em situações críticas e de limite.
- Explicar o impacte das suas ações na interação e bem-estar emocional de terceiros.
- Explicar a importância de adequar a sua ação profissional a diferentes públicos e culturas.
- Explicar a importância de adequar a sua ação profissional a diferentes contextos institucionais no âmbito dos cuidados de saúde.
- Explicar a importância da cultura no agir profissional. 

PROGRAMA / CONTEÚDOS
Ver abaixo.

Increva-se aqui
A comunicação na interação com o utente, cuidador e/ou família

• A comunicação na interação com indivíduos em situações de vulnerabilidade;
• A comunicação na interação com indivíduos com alterações de comportamento:
Agressividade / Agitação / Conflito;
• A comunicação na interação com indivíduos com alterações ou perturbações mentais.

A comunicação na interação com o utente com alterações sensoriais

• A comunicação não verbal
• Outras linguagens 

Comunicação e Interculturalidade em saúde

• Barreiras interculturais na comunicação
• Mitos e factos sobre saúde e (i)migração 

A Comunicação e o Género em saúde
A comunicação na interação com populações mais vulneráveis
Tarefas que em relação a esta temática se encontram no âmbito de intervenção do/a Técnico/a Auxiliar de Saúde 

• Tarefas que, sob orientação de um profissional de saúde, tem de executar sob sua supervisão direta
• Tarefas que, sob orientação e supervisão de um profissional de saúde, pode executar sozinho