A criadora portuguesa de insetos EntoGreen (Ingredient Odyssey SA), em parceria com a especialista alemã em tecnologia da alimentação WEDA Dammann & Westerkamp, desenvolveu e instalou um sistema de processamento de subprodutos vegetais agroindustriais que alimentam cerca de 25 toneladas de larvas de mosca soldado por dia. 

Fundada em 2014 por Daniel Murta, a EntoGreen produz proteína animal de alta qualidade e fertilizante orgânico a partir de subprodutos da indústria agrícola e alimentar na sua sede, em Santarém.  

“Sem este equipamento seria impossível controlar de forma industrial as formulações que alimentam os nossos insetos e consequentemente seria muito difícil garantir a qualidade constante do nosso produto final”, salienta a empresa, cuja atividade se baseia em I&D e numa tecnologia bio industrial inovadora que contribui para a sustentabilidade do sector agro-alimentar resolvendo dois grandes problemas globais, a escassez nutricional e os desperdícios alimentares.

Especialista no desenvolvimento de soluções biotecnológicas para a produção de proteína animal e fertilizantes orgânicos, através da reutilização e valorização de subprodutos da indústria agroalimentar, dedica-se em especial à produção e uso da Mosca Soldado Negro (BSF, na sigla inglesa), tendo desenvolvido uma tecnologia de biodigestão altamente eficiente e produtiva.

Reutiliza e valoriza centenas de toneladas de subprodutos orgânicos por mês, produzindo largas centenas de toneladas de fertilizante orgânico, proteína e óleo.

Fonte: EntoGreen