A AIP aprovou em Assembleia Geral anual, realizada no dia 30 de Maio, na sua sede, em Lisboa, o Relatório, Balanço e Contas anuais da Associação e os respetivos pareceres da Direção e do Conselho Fiscal, referentes ao exercício de 2017. O resultado líquido foi de 76 mil euros positivos.

José Eduardo Carvalho, presidente da AIP, salientou que no “exercício de 2017 a AIP conseguiu subir na escala de valor associativo, ao conceber e dinamizar um conjunto de projectos que vão ao encontro da melhoria da qualidade de gestão das empresas. Entre outros, destaco: implementação de sistemas de controle de gestão e avaliação de desempenho, o reforço da internacionalização com a cooperação das PME e cinco grupos económicos fortemente internacionalizados, a dinamização do acesso ao mercado de capitais, os leilões de consumo agregado de energia de PME, a implementação do modelo Lean através do Instituto Kaizen, a melhoria da produtividade nas empresas, e com a PwC a concepção de instrumentos de suporte de operações de fusões e aquisições e de emissão agrupada de obrigações participantes”. “Este conjunto de projectos envolveu 4230 empresas em acções diversas e cerca de oito mil empresários ou quadros naquelas actividades”, referiu.