Cerca de 74% das PME estão satisfeitas com os impactos positivos do programa da Associação Pacte PME na sua relação comercial enquanto fornecedores de grandes grupos, que adquiriram 475 milhões de euros em compras a estas PME, só em 2015. Foi registado um aumento de oito por cento na rentabilidade média, pela diminuição de custos operacionais e de marketing, das cerca de cinco mil PME participantes no programa da Fédération des Entreprises et Entrepreneurs de France; e comercialização em 45 países de 350 produtos franceses (dos quais 300 alimentares e 50 vinhos) de elevada qualidade produzidos através de métodos tradicionais por PME, no âmbito do programa “Reflets de France”, com o objectivo de promover as PME internacionalmente. Estes foram os principais resultados apontados no estudo de benchmarking internacional “Modelos de cooperação para a internacionalização”, que a AIP fez em oito mercados por todo o mundo e que neste caso concreto se refere a França.

A realização deste estudo teve como foco a identificação e análise de boas práticas no âmbito de modelos de cooperação entre PME e grupos fortemente internacionalizados (GFI). Constituiu a primeira fase do projecto “PME Connect” que a AIP está a desenvolver tendo como objectivo a promoção do crescimento das exportações e da capacidade para internacionalização das PME nacionais através da interacção com grupos económicos já fortemente internacionalizados. Para o efeito, as PME irão beneficiar de mentoria, criação de consórcios e integração nas cadeias de valor, através de processos colaborativos, bem como da resposta às necessidades de procura de cinco grupos fortemente internacionalizados, nos sectores da construção (Mota-Engil), retalho (Sonae), energia (EDP), turismo (Pestana) e defesa (Tekever).

O Grupo Carrefour

Em França, o primeiro estudo incidiu sobre a análise do Grupo Carrefour. Foi possível apurar que este grupo preserva a relação com as PME fornecedoras das suas marcas de distribuição (MDD) nos mercados onde tem operação (mais de 30 países), representando as mesmas cerca de três quartos dos produtos com a insígnia do retalhista.

Foi observado como boa prática que o Grupo Carrefour beneficia activamente a escolha de PME francesas, sobretudo para fornecer as suas MDD. Para esse efeito o grupo cria programas para melhorar a performance individual das PME com quem coopera, bem como para dinamizar a internacionalização dos seus produtos.

Este estudo enquadrou-se no programa com a Fédération des Entreprises et Entrepreneurs de France (FEEF), com o objetivo de capacitar PME francesas. Este programa incluiu: criação de um fundo de investimento de 10 milhões de euros e de uma linha de financiamento com taxas de juro competitivas para PME; simplificação de acordos comerciais entre o Grupo Carrefour e PME (prática que serviu de benchmark a outros grupos franceses); criação de um centro de serviços partilhados para PME, focado sobretudo em actividades de compliance financeiro, de qualidade e segurança, bem como de marketing, design e comunicação; e, ainda, desenvolvimento de incentivos à inovação nas PME, no sentido de aumentar o número de produtos inovadores, dentro das categorias tradicionais ou através da criação de novas categorias.

Associação Empresarial Pacte PME

A Associação Empresarial Pacte PME congrega grandes empresas e instituições em torno da criação de formatos de cooperação que permitam a PME expandir os seus negócios. São 50 grandes empresas de sectores diversificados, com o sector aeronáutico a registar uma elevada representatividade. Chamaram a si a responsabilidade de encorajar o crescimento de PME através da cooperação empresarial. A associação tem por objectivo facilitar a acessibilidade das PME a oportunidades de negócio em diferentes geografias. Para lhes proporcionar a participação em negócios internacionais de grandes grupos, a associação está neste momento a desenvolver uma plataforma de marketplace. Entre as várias medidas implementadas pela Pacte PME assinalamos o “Acelerador de PME no sector aeronáutico”, que consiste no desenvolvimento de um programa de reforço às competências e exportações de 30 PME do sector em estreita colaboração com oito parceiros de grande dimensão. Outro das medidas é o “Pacte Compétences”, uma plataforma para partilha de competências entre grandes empresas e PME em crescimento, que se foca na alocação de colaboradores de grandes empresas a PME para o seu desenvolvimento. Destaque ainda para outra medida, a “PME Database”: a concepção de uma base de dados com fornecedores de pequena e média dimensão destinada a grandes empresas.

Programa “Reflets de France”

Já o programa institucional “Reflets de France”, que teve por objectivo promover as PME internacionalmente, contou com as seguintes medidas: desenvolvimento de um programa (com duas décadas de implementação) cujo objectivo era vender globalmente produtos franceses de elevada qualidade produzidos através de métodos tradicionais por PME; para mitigar custos de marketing e comunicação, os vários produtos eram vendidos sob a insígnia do programa, excepção feita à categoria de vinhos; A estratégia de global, definida centralmente, enquadrava sete categorias de produtos tradicionais franceses alinhados matricialmente com regiões francesas produtoras dos mesmos; a estratégia de comercialização variava em função da geografia (em alinhamento com gestores locais) e tipo de canal (grossista, retalhista e online).

Resultados

Relativamente aos resultados do Pacte PME, 71% das PME estão satisfeitas com o envolvimento no programa da Associação. 74% das PME estão satisfeitas com os impactos positivos do programa na sua relação comercial enquanto fornecedores de grandes grupos. 235 PME foram posicionadas como novos parceiros preferenciais de grandes empresas. Em 2015, registaram-se 475 milhões de euros em compras a estas PME por parte de grandes grupos. Verificou-se também uma diminuição do prazo médio de recebimentos das PME para 46 dias. Por último, entre 2013 e 2015 decorreram 1162 projectos de I&D em co-promoção entre PME e grandes grupos.

No programa da FEEF, verificou-se um aumento de oito por cento na rentabilidade média, pela diminuição de custos operacionais e de marketing, das cerca de cinco mil PME participantes.

Já no programa institucional “Reflets de France”, passaram a ser comercializados em 45 países cerca de 350 produtos franceses (dos quais 300 alimentares e 50 vinhos) de elevada qualidade produzidos através de métodos tradicionais por PME.

Lisboa, 14 de Maio de 2018