AIP convida PME a conhecer o mercado alemão no âmbito da plataforma "Iniciativa Lisboa-Dusseldorf"

"Ter um bom produto ou serviço ou ser uma startup é essencial” para vencer no mercado da região da Renânia Norte-Vestefália, na Alemanha, concluem os especialistas que intervieram no “Encontro Lisboa-Dusseldorf: Cidades Inteligentes/Perspetivas dinâmicas para a Internacionalização", que a AIP realizou no dia 16 de outubro, na sua sede, em Lisboa. Esta iniciativa foi o ponto de partida para uma missão empresarial a Dusseldorf, a organizar pela AIP, em 2018.
A Renânia do Norte-Vestefália, com 18 milhões de habitantes, oferece oportunidades de negócio e apoios a startups com projetos que contribuam para dinamizar o conceito “cidade inteligente” (smart city, na versão inglesa), sobretudo nas áreas da educação, turismo e infraestruturas.
Mais de meio milhão de companhias estão instaladas na região de Dusseldorf, que possui uma alta taxa de empregabilidade, aposta na expansão de espaços de coworking, no network entre especialistas e nas parcerias para o financiamento de negócios.

Blog Article Figure

As indústrias criativas e culturais ocupam um lugar de destaque, gerando uma receita anual na ordem dos sete mil milhões. Máquinas, equipamento de metal e peças, produtos químicos, plásticos, borracha, veículos de transporte e minérios e minerais constituem o grosso da exportação e igualmente da importação da região.
O mercado global das smart cities, que em 2020 valerá 1,5 triliões de dólares, está a crescer de forma exponencial em diversas áreas, sobretudo nos sectores da habitação, saúde, edifícios, educação, redes, transportes, segurança e indústria de automação.
Empresários, gestores e especialistas no conceito “cidade inteligente” analisaram neste encontro os contributos da tecnologia, da ciência e da educação-formação, com vista à sustentabilidade das cidades, e deram a conhecer as alterações que irão influenciar a vida dos cidadãos no futuro.
Sustentabilidade e internacionalização também foram temas em destaque, abordados à luz da “cidade inteligente”, ou seja, aquela que usa as tecnologias ao seu dispor para a otimização da sua infraestrutura e diminuição dos problemas reais da população.
Neste encontro empresarial, para além das intervenções da AIP, da embaixada da Alemanha e da Câmara Municipal de Düsseldorf, os participantes conheceram a experiência na matéria de empresas e organizações como a NOVA IMS, Ceconomy Düsseldorf (plataforma europeia), Digital Stacht Düsseldorf, Vodafone GmbH, Cluster Smart Cities Portugal, Omniflow SA - Smart Lighting e Morbey Consulting. O evento terminou com uma sessão de networking.
Fundada em 2008, a “Iniciativa Lisboa–Dusseldorf” consiste numa abordagem voluntária para facilitar a comunicação, partilhar o conhecimento e possibilitar cooperação entre cidadãos, instituições e empresas de ambas as cidades.
Jorge Pais, vice-presidente da AIP, salientou, na abertura deste encontro, a necessidade de empresas e organizações “unirem esforços para oferecermos mais contributos e encontrarmos as melhores parcerias que dinamizem as smart cities através desta cooperação entre Lisboa e Dusseldorf”. Neste sentido, “a AIP está preparada para ser a nova plataforma empresarial”, frisou o dirigente ao concluir a sua intervenção.