A opinião de quem passa
cheques e avales e não recibos

Testemunhos dos empresários recolhidos desde o início da crise pandémica.

• BANCOS

“Há aí um banco com um gestor espanhol que assumiu que não está para dar crédito às empresas para não prejudicar os rácios. Numa altura destas é que se vê quem está comprometido com a economia nacional”

Construção Civil / Caldas da Rainha / 05.05.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“[O governador do BdP] além de ter pactuado com tudo o que aconteceu na banca, ainda teve o descaramento de vir defender que o dinheiro de apoio às empresas deveria ir diretamente para os bancos sem intervenção da garantia mútua”

Consultoria / Leiria / 29.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Isto é uma confusão total. O Governo lançou diversas linhas com condições diferentes de taxas e garantias.
Os bancos ofereceram financiamento das Linhas COVID aos seus clientes que tinham empréstimos com piores condições. As empresas pediram crédito em 2 ou 3 bancos diferentes quando não podiam fazer. E agora os outros que também necessitam estão impedidos de o fazer porque a linha não tem dinheiro. E como a minha empresa estão milhares.”


TIC / Lisboa / 04.05.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Os bancos estão a conceder crédito às empresas que se candidatam ou estão a oferecer crédito às empresas por eles escolhidas?”

Consultoria / Lisboa / 27.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“(…) Há bancos que acham que os créditos Covid às empresas podem pôr em causa a sua própria viabilidade. (…) Como é possível isto com garantidas do Estado de 80% e 90%?

Mobiliário / Paredes / 26.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

(…) Há bancos que estão a convidar clientes para fazerem operações na linha 6 mil milhões Covid, dadas as excelentes condições, para depois liquidarem os empréstimos que tinham com piores condições (taxas de juro, maturidades, garantias). É uma vergonha.”

Construção /Esposende / 22.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

(…) Muitas empresas mantêm esse estatuto (NPL e NPE) nos bancos por uma questão de herança e preconceito pois reestruturaram as suas dívidas e respetivos balanços e não veem essa situação tida em conta pelo banco (…). Os bancos estão a eliminar tout court aos NPL e NPE das linhas de financiamento Covid (…) Devia-se alterar os critérios de risco clássico nesta situação atual. Não é tanto o critério NPL e NPE mas antes perceber se as empresas têm balanços razoáveis e autonomia financeira razoável.

Trading / Lisboa / 22.04.2020 
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“O sector bancário continua a “oferecer” o apoio, sem descurar o elevado lucro e complicando com burocracia habitual (…) Pedidos de elementos contabilísticos ainda não disponíveis à data e exigências de balancetes analíticos gerais que violam a proteção de dados de clientes e fornecedores.”

Comércio / Maia / 14.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Sou sócio gerente de uma sociedade unipessoal (…) A empresa não deve ao fisco nem a segurança social. Tem resultados líquidos positivos nos últimos 3 anos, embora modestos. Partilho aqui as perguntas que um banco nos colocou para viabilizar o financiamento da linha Covid-19:
“- Qual seria o valor total da faturação dos eventos que foram suspensos/adiados?
- Qual a finalidade do montante? Que pagamentos irá efetuar nos próximos 6 meses (prazo já pessimista até que esta epidemia termine)
- Qual a justificação para a redução da faturação em 2019 face a 2018?
- Qual é a estimativa da faturação para o ano de 2020?
- Dado que o financiamento terá um período de carência de capital até 1 ano, só irá efetuar o pagamento das prestações em abril de 2021. O valor da prestação mensal rondará xxx€. Que estratégia será mantida até lá para que a empresa consiga libertar meios (Capital) suficientes para fazer face ao encargo (xx mil euros/ano)? Recordo que a empresa, de acordo com os elementos contabilísticos dos últimos 3 anos, libertou meios (Resultados Líquidos + Amortizações) em média no valor x.xxx €”
Se a uma empresa sem dívidas ao fisco e a SS, com resultados positivos e exigido este escrutínio nem quero imaginar o que acontecerá as empresas que tem situações mais frágeis.”

Prestação de Serviços Multimédia / Lisboa / 14.04.2020

• FINANCIAMENTO / CRÉDITO

“(…) Uma pequena empresa de transportes rodoviários de mercadorias gerais está totalmente parada desde o dia 17/3/2020 (…) até hoje apenas conseguiu moratórias para os contratos de leasing e empréstimos bancários (…) por resolver rendas dos renting /aluguer de algumas viaturas (…) apetece-me deixar cair tudo.” 

Transportes / Porto / 14.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Solicitámos financiamento através da linha capitalizar junto dos 3 bancos com quem trabalhamos e só obtivemos resposta de um e foi negativa. É uma falácia que o dinheiro esteja a chegar às PME.”

Comércio/ Almada / 13.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Suspendemos a atividade por tempo indeterminado em 13/03/2020, porque os nossos clientes fecharam (…) a empresa não quer uma divida que não sabe se poderá cumprir (…) queremos dinheiro para podermos sobreviver (…) cuidem de nós como nós cuidamos dos bancos para não irem à bancarrota (…) dêem-nos ferramentas para manter a economia a rolar, não nos mandem para os cuidados paliativos.”

Calçado / Porto / 20.03.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“A minha empresa tem 14 trabalhadores (…) o Governo prorrogou o prazo para entrega do modelo 22 até junho e a banca exige o encerramento do exercício para poder ter acesso às moratórias. (…) Isto é ilegal e uma vergonha.”

Mobiliário / Paredes / 07.04.2020 -  Situação já resolvida  
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“O Estado toma as medidas (…) e a banca ainda exige garantias reais e pessoais, mesmo numa situação de emergência como esta (…) perdem-se empregos, falências em catadupa e as empresas ainda irão ficar mais endividadas.”

Consultoria / Porto / 17.03.2020

• RETOMA DA ATIVIDADE ECONÓMICA

“E depois de abrir o consumo vai baixar, (…) os hábitos das pessoas serão diferentes, como iremos pagar o normal de despesas mensais a faturar menos acrescido das prestações do atrasado: empréstimo, renda entre outros. Quando ouço os (…) vendedores de ideias e sonhos, parece que está tudo normal e vai tudo correr bem mas não vai ou estarei a analisar mal as coisas??”

Restauração / Lisboa / 16.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Julgo ser importante passar o feedback do que se passa no mundo real (…) Como sugestão para o arranque da economia sugiro um programa de reestruturação de dívida de curto e médio prazo para longo prazo com bonificação.”

Comércio / Porto / 14.04.202
-----------------------------------------------------------------------------------------------

-“Podiam abrir a maior parte dos comércios e serviços” 

Consultoria Ambiental / Viseu / 14.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Um problema pós-Covid-19 que se vai colocar a imensas micro e pequenas empresas de comércio tradicional: os saldos! (…) as previsões para a abertura faseada das empresas (..) aponta para que seja algures no mês de Maio ou mesmo em Junho (…) as empresas abram as suas lojas já no final da estação de Primavera/Verão (…) Seria pois conveniente (…) que, excecionalmente, porque a situação assim o exige, esta temporada não fossem permitidos descontos superiores a 30% e as época de saldos fosse abolida.”

Comércio / Porto / 14.04.2020

• ENCERRAMENTO DAS ESCOLAS

“À volta de 200/300 mil trabalhadores vão ficar em casa devido ao encerramento de creches e escolas do ensino básico. Na minha empresa alguns pais vão ficar em casa para acompanhar. Tenho trabalho para todos e vou ter de contratar outros para os substituir. Isto está a ficar um país de doídos. (…) Quando o dirigente da FENPROF elogia uma medida do Ministério da Educação, desconfiamos logo que é má para o país.”

TIC / Aveiro / 13.04.2020

• FISCO

Sugeria (…) que o mecanismo de dedução fiscal por reinvestimento de lucros seja aplicado aos resultados de 2019 e 2020 às empresas que não promovam a extinção de postos de trabalho (considerando, portanto esse facto equiparável a investimento).”

Saúde / Évora / 16.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“O Estado (…) deveria, por exemplo, pagar os reembolsos do IVA o mais rápido possível de forma a ajudar as empresas a cumprir os seus compromissos, mas não, o pagamento é feito no limite do prazo legal.”

Extração de Pedra / Porto de Mós / 15.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Conseguimos passar a crise de 2010/13. Temos acordos prestacionais com a Segurança Social. Como tínhamos dívida de IRS do mês de dezembro e janeiro, já não temos acesso às medidas. Não nos resta outra solução senão fechar já a empresa e despedir 19 trabalhadores.”

Construção / Trofa / 27.03.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“O fisco não permite celebrar acordos prestacionais de dívidas anteriores a março de 2020. A Segurança Social permite. É uma vergonha. Não vou conseguir moratórias nos financiamentos nem prorrogação das contribuições. Vou pedir a falência e mandar para o desemprego os que aqui trabalham.”

Metalomecânica / Setúbal / 26.03.2020

• SÓCIOS GERENTES

“Pede-nos, pois, agora o governo para não despedirmos os trabalhadores nesta época tão conturbada, tem razão, mas quem é que nos ajuda a nós? Se formos para um lay-off simplificado os patrões, sócios-gerentes, que descontam 14 meses por ano, (…) não têm qualquer ajuda (…).

Transformação de Pedra / Porto de Mós / 15.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“(…) Sou sócio de uma empresa constituída por 3 sócios gerentes e 2 funcionários. Os 3 sócios gerentes têm como único rendimento os salários que auferem na empresa (…) Não passamos de funcionários com funções de gerência. Não se compreende porque nestes casos não temos possibilidade de aderir ao lay-off.”

Material de Construção / Montijo / 14.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“A minha opinião é que o Governo anuncia uma coisa, nós preenchemos a papelada e enviamos a quem de direito e no afinal até agora nada (…) não inclui os sócios gerentes de micro e pequenas empresas nas medidas anunciadas (…) os gerentes de empresas com pelo menos 5 trabalhadores, têm uma profissão, trabalham ao lado dos seus colaboradores(…) muito mais do que 40 horas semanais, pois para além do trabalho da sua profissão, acumulam a gestão da empresa.
Seria bom que junto do governo estivessem gestores que lidam com a realidade de todos os dias.”

Consultoria / Leiria / 14.04.2020 
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Como a minha faturação do ano anterior ascende os 60.000,00 Eur, não tenho por isso direito a recorrer a este apoio, e também a nenhum outro, pois não tenho lay-off , não tenho recibos verdes e não sou trabalhador independente. (…) Sinto que estou a ser "deixada de parte” (…), pois desconto como todos os restantes trabalhadores.“

Agência de Viagens / Cascais / 14.04.2020 -  Situação já resolvida
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“As empresas precisam de empregados, mas para haver empregados e empregos tem de haver patrões, pessoas responsáveis por dar a cara, pensar em soluções para as empresas e empenhar os seus bens para manter as empresas. (…) Pedem-nos, pois, agora o governo para não despedirmos os trabalhadores nesta época tão conturbada, têm razão, mas quem é que nos ajuda a nós? Se formos para um lay-off simplificado os patrões, sócios-gerentes, que descontam 14 meses por ano, que pagam os seus impostos que não devem nada ao estado, não têm qualquer ajuda, só têm obrigação de continuar a pagar não sabemos com que dinheiro e de manter os postos de trabalho. (…)

Extração de Pedra / Porto de Mós / 15.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Acho inadmissível que sócios-gerentes não tenham direitos a apoios só porque têm uma faturação superior a 60 mil euros.”

Consultoria de TI / Leiria / 14.04.2020 -  Situação já resolvida
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Fico triste quando um gestor de uma empresa e desprezado em vez de apoiado, porque será que não merece apoio, só por ter funcionários a seu cargo?”

Alimentar / Mação / 14.04.2020

• LAY-OFF SIMPLIFICADO

“O lay-off (…) devia ter a possibilidade de ter um período mínimo mais curto, ou então que fosse de 30 dias, mas que se pudesse SUSPENDER a atividade antes desse período.”

Confeções / Santo Tirso / 23.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Uma empresa que não tenha uma faturação mensal e constante não tem acesso ao lay-off.”

Alimentar / Viseu / 09.04.2020 

• SEGUROS

“Temos 50% da frota de pesados parada pois não há fretes. Continuamos a pagar os prémios de seguro como se estivessem em atividade (…) As seguradoras nada fazem e as associações do setor não se mexem (…) será que não será justo a suspensão temporária (moratória) dos prémios de seguros enquanto a economia estiver parada?”

Transportes / Carregado / 09.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Porque á que não há uma moratória para os seguros de acidentes de trabalho para as empresas quem entram em lay-off? (…) o Governo só pensa na divida e não cria legislação para aliviar este tipo de custos. (…) A minha empresa prefere aliviar custos a contrair mais empréstimos”.

Comércio /Madeira / 08.04.2020

• SETOR PÚBLICO E PRIVADO

“Por que razão alguns setores da administração pública não poderão entrar em regime de lay-off? (…) Todos sabemos que 1/3 de massa salarial que o Estado poderia poupar seria um montante significativo na ajuda no relançamento da economia e esta não ficar somente à custa do setor privado. (…)” 

Alimentar / Cantanhede / 14.04.2020 
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Os funcionários públicos que estão em caso sem trabalho, também irão para lay-off? (…) ou só os meus empregados é que terão 1/3 do seu vencimento cortado?”

Alimentar / Viseu / 08.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Ainda não ouvi dizer que os funcionários públicos vão sofrer qualquer restrição salarial e pergunto-me porquê se os privados vão ficar sem parte dos seus salários (…) Admito apenas que apenas os profissionais de saúde devam ser recompensados.” 

Alimentar / Fundão / 31.03.2020

• ASSOCIAÇÕES EMPRESARIAIS

“Aproveito para agradecer as diversas mensagens e questionários que têm enviado no sentido de apoiar e esclarecer as empresas.”

Comércio / Maia / 14.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Após leitura da vossa newsletter em que refere que a "AIP apoia medidas do governo e defende a necessidade de um novo programa de financiamento das empresas”, como empresário sinto-me triste e embora possa estar a ser injusto, vimos por este meio manifestar que acho que a AIP não luta pelo interesse das empresas. (…) . A AIP apoia a medida de que as entidades patronais tenham que se endividar para pagar os salários dos trabalhadores? (…) Perdoar impostos nem pensar, mas podem pagar em prestações…”

Têxtil / Barcelos / 23.03.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Há alguma forma de evitar que o Governo nos ponha a fatura do covid-19 na bandeja para pagar daqui a algum tempo na forma de impostos? (…) o que é que as associações empresariais estão a fazer a este respeito?”

Alimentar / Fundão / 31.03.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“As associações empresarias são demasiado brandas.”

Consultoria / Porto / 17.03.2020

• ENCOMENDAS / STOCKS

“Agora tenho trabalho, mas os nossos clientes já nos avisaram que as próximas encomendas vão ser reduzidas em 50% porque as lojas estão fechadas.”

Confeções / Santo Tirso / 23.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Somos uma empresa de venda de produtos congelados diretamente a restauração (…) que está toda encerrada e não temos como vender ou escoar os nossos stocks.”

Comércio por Grosso / Almada / 14.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Ninguém fala de empresas que estão dependentes e exclusivamente de investimentos dos seus clientes (…) cujas decisões de investimento em cima da mesa antes do covid-19, foram, adiadas e como é obvio, sine die, … lá para o fim do ano, inicio de 2021…se tudo correr bem…!”

TIC / Porto / 14.04.2020

• CRÉDITO - FINANCIAMENTO

“As ajudas à base de empréstimos bancários sem juros não são ajuda nenhuma na medida em que, primeiro temos sempre que pagar o spread, e segundo, não vejo como se pode pedir empréstimos quando não se fatura.”

Confeções / Santo Tirso / 23.04.2020

• FISCO

(…) empresas (…) não têm a situação com a AT e SS resolvida não podem beneficiar da legislação excecional do lay-off. Isto é um paradoxo. (…) Não podendo recorrer ao lay-off excecional terão de optar pelo despedimento.

Trading / Lisboa / 22.04.2020

• DIVERSOS

“Parece que o antigo Ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, escreveu num blog que “as medidas de restrição da Covid deveriam ser mantidas, independentemente dos danos causados à economia” (…) Como é que é possível esta insensatez e esta insensibilidade?”

Consultoria / Lisboa / 30.04.2020 
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Milhares de empresas de vários ramos de atividade irão fechar portas (…) o Estado solta presos que não vão criar riqueza ao país, pelo contrário, vão pedir rendimentos de inserção, porque não conseguem trabalho.”

Comércio / Coimbra / 14.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“(…) Alerto que não estão a ser aceites documentos assinados de forma não presencial, em bancos, conservatórias, em algumas Câmaras Municipais, etc,(…) estado a situação a dificultar ainda mais a economia do país”.

Ambiente / Viseu / 14.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Devido ao Estado de Emergência declarado, foram encerrados os campos de tiro! Temos dúvidas se o legislador ao citar os campos de tiro quererá ter abrangido as zonas de caça associativas, municipais e turísticas?”

Turismo Cinegético / Sintra / 14.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Não deixa de ser curioso que alguns aeroportos estão fechados, mas "abrem" de repente a porta 2, 3 x por semana para trazer as pessoas em voos privados e que cobram um valor altíssimo pelas passagens aéreas. As companhias aéreas que ganharam o dinheiro ao vender a passagem aérea demarcam-se destas situações alegando uma situação anormal e de pandemia, mas se pagarem bem ... já esquecem a pandemia e os vírus ....”

Agência de Viagens / Seixal / 14.04.2020
-----------------------------------------------------------------------------------------------

“Vivemos numa era que o importante é o mediatismo das medidas que se apresentam. (…) Sem querer tirar o mérito às medidas apresentadas (…) onde a falha é totalmente incompreensível, é na operacionalização das mesmas.” 

Consultoria Contabilística e Informática / Almada / 14.04.2020   
-----------------------------------------------------------------------------------------------

Envie a sua opinião. 
E-mail: consultoria@aip.pt 
Telefone: 213 601 048