“Alfredo da Silva era singular, como pessoa, como empreendedor como se diz hoje, empresário como se diria na altura, como industrial, como visionário, como representante de uma vontade de mudar Portugal, um Portugal que era muito diferente daquilo que ele defendia, e que ele queria que passasse a ser um país moderno. Era uma personalidade singular em termos pessoais, muito visionário, muito determinado, muito combativo, muito resistente, muito persistente, muito capaz de arrostar com as circunstâncias mais difíceis, muito liderante no sentido de comandar homens, empresas e projetos”. Esta foi a definição efetuada pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, na sessão inaugural das comemorações dos 150 anos do nascimento de Alfredo da Silva (presidente da AIP em 1921/23), que decorreu, dia 30 de junho, na Sala dos Presidentes da AIP.

Vasco de Mello, presidente da FAM, deu início às cerimónias, promovidas pela Fundação Amélia de Mello (FAM), e ressalvou tratar-se de “um momento de grande importância na divulgação e reconhecimento histórico da vida e do legado empresarial de Alfredo da Silva, criador do Grupo CUF, e exemplo muito marcante de empreendedorismo, exigência e ambição, que tem hoje continuidade nos projetos empresariais dos seus sucessores.”

No decurso da cerimónia, a FAM assinou dois protocolos, com o Ministério de Educação e com a Associação dos Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo, relativo a um concurso dirigido às escolas e aos estudantes do ensino básico, secundário e profissional, que conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República.

Para participarem no concurso, que vai decorrer no ano letivo de 2020/2021, os alunos deverão desenvolver trabalhos sobre a personalidade de um dos maiores industriais e empresários portugueses do seu tempo, sobre as suas iniciativas e empreendimentos, e sobre o seu contributo para o desenvolvimento económico e social de Portugal.

A FAM vai lançar também, ainda este ano, uma outra iniciativa denominada Prémios Alfredo da Silva, no montante de 25 mil euros cada, para distinguir e apoiar a realização de projetos de investigação científica avançada, cujos domínios envolvem os temas “Alfredo da Silva e o empreendedorismo”, “Inovação tecnológica, mobilidade e indústria” e “Sustentabilidade dos sistemas de saúde”. Esta iniciativa tem como destinatários investigadores das universidades e institutos politécnicos de Portugal.